Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Incêndios em Pedrógão Grande: Identificadas 24 das 62 vítimas mortais e sem casos de estrangeiros - ministra


Foto: Mário Pinto segunda, 19 junho 2017

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, disse hoje que já foram identificadas 24 das 62 vítimas mortais, revelando que das identificações feitas até ao momento não há nenhum estrangeiro.
Em relação ao número de vítimas do incêndio que deflagrou na tarde de sábado em Pedrógão Grande e que alastrou aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, os números mantêm-se inalterados até ao momento, com o registo de 62 vítimas mortais e 62 feridos.
Falando aos jornalistas às 13h00, no segundo balanço do dia sobre os fogos florestais que lavram nos três distritos, Constança Urbano Sousa explicou que já foram identificadas 24 vítimas mortais, trabalho esse que está a ser feito pelo Instituto de Medicina Legal e adiantou que não há nenhuma vítima de nacionalidade estrangeira.
“Há um trabalho todo de identificação que está a ser muito acelerado. Existem vitimas que é mais fácil a sua identificação e outras que existem outro tipo de testes mais complementares, mas penso que é um trabalho que está a decorrer com celeridade e em breve estará concluído”, afirmou.
A ministra explicou que as equipas só podem progredir no terreno se tiverem condições de segurança porque a prioridade número um é a salvaguarda de vidas humanas.
Já o comandante operacional da protecção civil, Elísio Oliveira disse que alguns maior aéreos, nomeadamente aviões pesados, já estão a operar em alguns sectores.
“Este é um trabalho demorado. Vamos verificar como é que vai ser o evoluir da situação ao longo da tarde. Mas esta é uma situação complexa me que todos os operacionais que estão no terreno estão a dar o seu melhor para o mais rapidamente possível dominarmos este incêndio. Temos frentes já em operações de rescaldos e outras com frentes activas”, disse.
Adiantou ainda que a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) tem uma linha directa – 800 246 246 – que qualquer cidadão pode contactar para obter todo o tipo de informação quer em relação à identificação das vítimas, quer de estradas cortadas.
Questionado sobre o corte do IC8, Elísio Oliveira explicou que, por vezes, surgem situações pontuais em que, durante um determinado período de tempo, as vias podem estar condicionadas ou mesmo cortadas, mas remeteu qualquer informação para o número disponibilizado pela ANPC.

Diários Associados