Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Incêndios: EDP Distribuição está a construir 130 quilómetros de rede eléctrica


segunda, 19 junho 2017

A EDP Distribuição anunciou hoje que está a construir 130 quilómetros de rede eléctrica destruída na sequência dos incêndios que afectam vários concelhos do centro do país desde sábado e diz que as suas equipas têm enfrentado um “cenário aterrador”.
“(…) Estamos a proceder à construção de cerca de 50 quilómetros de rede de baixa tensão. Não se trata de reparar a infraestrutura, estamos a construir de novo”, refere uma informação escrita enviada pela empresa à agência Lusa, destacando que, “após este trabalho, é necessário refazer as ligações a cada uma das casas nos locais em que estas se encontram destruídas”.
A EDP Distribuição acrescenta que na rede de média e alta tensão as “equipas estão a construir cerca de 80 quilómetros de rede para os quais são necessários mais de 1.900 isoladores”.
“Foram já ligados dez geradores em postos de transformação que arderam”, explica a empresa que dispõe, ainda, de outros quatro “parqueados nos locais dos incêndios para acudir a situações novas”.
Por outro lado, “serão instalados sete equipamentos de telecomando da rede em substituição dos destruídos pelo fogo”, realçando que, até ao momento, não houve subestações afectadas.
A EDP Distribuição nota que tem, “desde o primeiro momento” da tragédia que assolou algumas regiões do interior do país, “mais de uma centena de operacionais no terreno” para dar “a melhor resposta possível à reconstrução da rede eléctrica de distribuição destruída pelo fogo”.
“É com grande consternação que as equipas no terreno vão enfrentando o cenário aterrador com que se deparam à medida que vão conseguindo chegar aos locais afectados”, observa a empresa, referindo que nos concelhos de Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera (distrito de Leiria), Góis (Coimbra) e Sertã (Castelo Branco) tem cerca de 150 elementos, com apoio de 30 viaturas, “continuamente a trabalhar, quer nos centros operacionais, quer no terreno”.
Assinalando estar em “constante confrontação com novas situações à medida que o fogo alastra”, a EDP Distribuição reitera que “tem lidado com algumas dificuldades de movimentação de equipas e equipamentos de forma a garantir, em coordenação com a Protecção Civil e bombeiros”, que a deslocação dos seus colaboradores seja feita “em absoluta segurança” e “nas vias possíveis”.
O fogo, que deflagrou às 13:43 de sábado, em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera e entrou também no distrito de Castelo Branco, pelo concelho da Sertã.
O último balanço dá conta de 62 mortos civis e 135 feridos, entre os quais 121 civis, 13 bombeiros e um militar da GNR. Dos 135 feridos, sete estão em estado grave: cinco bombeiros voluntários e dois civis. Há ainda dezenas de deslocados, estando por calcular o número de casas e viaturas destruídas.
Além de Pedrógão Grande, existem quatro grandes fogos a lavrar nos distritos de Leiria, Coimbra e Castelo Branco, mobilizando um total de cerca de 2.150 operacionais, 654 veículos e 16 meios aéreos.

Diários Associados