Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Maior comboio de alunos que usam bicicleta para a escola circula em Leiria


Texto: Redação | Foto: DR Segunda, 17 de Junho de 2024

Vinte cinco por cento dos alunos do Centro Escolar de Parceiros vai de bicicleta uma vez por semana para a escola, o que faz de Leiria o maior comboio do projeto CicloExpresso.
O Centro Escolar de Parceiros tem 60 crianças inscritas no programa nacional CicloExpresso, ao qual aderiram cinco escolas de Leiria.
“A escola [Parceiros] tem 240 alunos, o que significa que 25% desta população está sensibilizada, o que é uma coisa extraordinária. Até ao nível do impacto social e de projeção da mudança é muito interessante pensar como é que um projeto destes pode servir de facto a comunidade”, afirmou à agência Lusa o coordenador em Leiria do CicloExpresso.
Habitualmente, aderem ao projeto 10% do total de alunos das escolas, adiantou Francisco Lontro, ao revelar que o Centro Escolar de Parceiros é “o maior comboio a nível nacional”.
Todas as quintas-feiras, o comboio parte da Urbanização de Santa Clara rumo ao Centro Escolar de Parceiros, numa viagem conduzida por um maquinista principal, que lidera o grupo, e os seus auxiliares, que garantem a segurança das crianças ao longo do percurso de quase quatro quilómetros.
Pelas 08h00 entram os primeiros passageiros, que vão parando em alguns apeadeiros, para a entrada de novos utentes. No dia em que a Lusa acompanhou os alunos, participaram 53 crianças, que chegaram à escola cheios de energia e animação, apesar do esforço da pedalada, sobretudo, em algumas subidas.
Francisco, 8 anos, correu para as aulas assim que chegou à escola. O pai, Vasco Roldão, que também participou na viagem, desta vez, com a filha mais nova, sentada na cadeirinha atrás da bicicleta, e a mulher, revelou que "das primeiras vezes que o Francisco ‘apanhava’ o CicloExpresso nem dormia bem à noite, tal era a ansiedade de vir”.
Para este pai, além das crianças adorarem, a iniciativa tem a vantagem de promover a prática desportiva e o espírito de grupo.
No concelho de Leiria aderiram a esta iniciativa as Escolas Básicas (EB) 1 Branca, Amarela, Caranguejeira, Centro Escolar de Parceiros e a EB 2,3 Dr. Correia Alexandre, que reúnem mais de 100 inscritos.
Desenvolvido pela cooperativa Bicicultura, o Município de Leiria associou-se ao CicloExpresso, um projeto que nasceu em Lisboa e que permite que as crianças possam ir para a escola de bicicleta, acompanhadas por adultos.
“É fixe”. É assim que Guilherme Matos, aluno do 1.º ano, classifica o ‘comboio’, mesmo admitindo que por vezes não é fácil quando tem de pedalar nas subidas. O entusiasmo em participar é tanto que Magda Matos sublinha que o filho ia faltar à escola, para uma consulta médica, “mas quis vir na mesma”.
“Não decidimos Parceiros porque sim. Houve uma análise do território e tentámos perceber qual é a dispersão e a densidade populacional. Os critérios mais técnicos aqui preenchiam-se todos, mas pensava-se que seria difícil implementar aqui o projeto. No entanto, há aqui uma particularidade: o caos em termos de trânsito. Se calhar, isso foi o gatilho, especialmente para as pessoas de Santa Clara”, explicou Francisco Lontro.
O vereador da Mobilidade na Câmara de Leiria, Luís Lopes, adiantou que o CicloExpresso faz sentido.
“A sustentabilidade está diretamente associada. O não consumo de combustíveis fósseis é absolutamente crucial, mas também temos de associar a dimensão da saúde, do bem-estar e do desporto. As pessoas reduzem o seu sedentarismo”, destacou.
Luís Lopes referiu que este projeto é a prova de que é possível ir para a escola de bicicleta em Leiria, mesmo não existindo ciclovias em todos os percursos.



Assinaturas