Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Valorlis investiu 12 milhões em dois anos


Texto: Lusa/Foto: LFC Quarta, 19 de Junho de 2024

A Valorlis, empresa de valorização e tratamento de resíduos sólidos da região de Leiria investiu 12 milhões de euros nos últimos dois anos, sendo a maior fatia na nova linha de tratamento de biorresíduos.
Num comunicado, a Valorlis divulgou que “investiu, em 2022 e 2023, 12 milhões de euros, cumprindo o plano previsto para 2022-2024 e ultrapassando os montantes investidos nos períodos regulatórios anteriores”.
“O grande investimento realizado permitiu a finalização da obra associada à nova linha de tratamento de biorresíduos e que permite o aumento da capacidade da unidade”, adiantou.
A Valorlis é a empresa que gere a recolha seletiva e o tratamento de resíduos urbanos dos municípios de Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós.
Já no âmbito da inovação, “foram substituídos equipamentos obsoletos e colocadas ao serviço novas viaturas, de diferentes tipologias, que permitiram modernizar a frota” e otimizar “o consumo de combustível e a redução de emissões” de dióxido de carbono.
Segundo o comunicado, “outra parte significativa do investimento foi afeta à substituição de meios operacionais e manutenção de infraestruturas que garantem uma melhoria nos serviços prestados à população e melhores condições de trabalho”.
A Valorlis assegurou ainda que está a trabalhar colaborativamente com entidades que se dedicam ao desenvolvimento de projetos de inovação, como o uso da Inteligência Artificial na gestão da recolha seletiva de ecopontos e separação de resíduos para reciclagem, parcerias que já estão em curso.
À agência Lusa, a Valorlis esclareceu que, dos 12 milhões de euros, a maior fatia foi alocada à linha de tratamento dos biorresíduos, onde foi gasto sensivelmente metade do valor total investido.
A capacidade atual da unidade de valorização orgânica é de 50 mil toneladas, sendo que com o investimento foi duplicada a capacidade do tratamento.
Ainda de acordo com a empresa, os restantes quatro milhões de euros contemplados no plano previsto para 2022-2024 vão ser canalizados para a ampliação da pós-compostagem, um complemento ao investimento já realizado na linha de biorresíduos que pretende aumentar a capacidade do parque de compostagem do corretivo orgânico, existindo igualmente intervenções e melhorias previstas noutras áreas de intervenção e edificado.
Citada no comunicado, a administradora-delegada da Valorlis, Marta Guerreiro, afirmou que o a empresa continua a investir na inovação tecnológica do setor e a proporcionar mais e melhores meios para o tratamento e separação dos resíduos urbanos, investimentos que já estão a impactar positivamente o quotidiano das operações e na qualidade de serviço prestado às populações dos seis concelhos servidos pela empresa.
Os restantes investimentos previstos encontram-se em fase de adjudicação, acrescentou.
A Valorlis é uma empresa participada pela EGF – Empresa Geral de Fomento e por aqueles seis municípios.
“A exploração e gestão do Sistema Multimunicipal da Alta Estremadura foram adjudicadas em 1996, em regime de concessão exclusiva, à Valorlis, por um período de 25 anos”, refere a empresa, na página de internet.
Em 2014, foi publicado o diploma que prolonga o prazo de concessão até 31 de dezembro de 2034. 



Assinaturas