Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Utentes dos Cuidados Paliativos viajam sem sair do lugar


Texto: Redação | Foto: ULS RL Quinta, 20 de Junho de 2024

O Serviço de Cuidados Paliativos da Unidade Local de Saúde da Região de Leiria (ULSRL), no âmbito de um protocolo com a Academia dos Sonhos do Centro Social Paroquial dos Pousos (CSPP), tem proporcionado viagens virtuais aos seus utentes desde o final de fevereiro. Todas as quartas e sextas-feiras, uma animadora sociocultural e uma terapeuta ocupacional presenteiam estes utentes numa viagem, através de uns óculos de realidade virtual. Esta experiência cria um imaginário, que permite sair e voar para bem longe, sem sair do lugar.
“O projeto consiste na concretização de desejos e sonhos através de vídeos a 360º, no contexto da espiritualidade, cultura e turismo – exemplos de viagens: praias de Portugal, Santuário de Fátima, concertos de música”, explica Catarina Faria, diretora do Serviço de Cuidados Paliativos da ULSRL.
Citada num comunicado da ULSRL, Catarina Faria explica que se trata de “uma experiência imersiva, com o objetivo de diminuir a dor total e a angústia existencial”.
“Através de vídeos curtos, para prevenção dos enjoos e mal-estar, a experiência dura o tempo que a pessoa tolerar e desejar. As ‘viagens’ levam os utentes para lugares inimagináveis, desejados e/ou locais relacionados com as suas histórias de vida, tendo em conta a sua condição de saúde frágil e na impossibilidade de se deslocarem fisicamente”, disse.
Para usufruir desta experiência virtual, são elegíveis as pessoas acompanhadas pelo Serviço de Cuidados Paliativos com 65 ou mais anos, bem como está incluída a interação com doentes que estejam no domicílio e institucionalizados, mediante sinalização.
O impacto destas experiências imersivas está a ser mensurado, com a criação de uma parceria com o Politécnico de Leiria, antes, durante e depois da ‘viagem’, em que são aplicadas três métricas: vitalidade, depressão e felicidade, de acordo com a capacidade cognitiva e a literacia da pessoa.
“A integração de tecnologias digitais, numa lógica inovadora, quanto ao uso da realidade virtual com acompanhamento terapêutico, é um meio de estimulação neurológica e de permissão para outras emoções e reações cognitivas. Os vídeos são acompanhados de som direcional, captado pela câmara, o que torna a experiência completamente isolada do mundo real, durante um tempo estipulado para o efeito”, destaca, por seu turno, Alexandra Neves, coordenadora do projeto da Academia dos Sonhos do Centro Social Paroquial dos Pousos, esclarecendo que a prioridade são os seniores que se encontram em situação de maior vulnerabilidade.
“Através destas experiências imersivas e sensoriais do equipamento, queremos levá-los a lugares e experiências, mesmo que não saiam do lugar físico onde se encontram. O que desejamos alterar, mesmo que de forma pontual? O sentir do seu estado para melhor. Melhor em termos físicos, mentais e espirituais. Aliado à tecnologia, também e sempre com acompanhamento humano e competência técnica”, acrescenta Alexandra Neves.



Assinaturas