Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Investimento de 9,3 ME requalifica e amplia Escola Secundária de Porto de Mós


Texto: Redação | Foto: DR Sábado, 22 de Junho de 2024

A Escola Secundária de Porto de Mós vai ser requalificada e ampliada, num investimento de 9,3 milhões de euros no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).
Numa nota de imprensa, a autarquia referiu que o projeto prevê a requalificação dos atuais pavilhões e a construção de novas infraestruturas que dotarão a escola das condições adequadas para responder às modernas exigências técnicas e pedagógicas.
Concluídas as obras, os alunos da Escola Básica do 2.º ciclo Manuel Oliveira Perpétua deixarão estas instalações e passarão a integrar este complexo escolar, juntando-se, assim, aos alunos do 3.º ciclo, secundário e técnico-profissional.
“O financiamento do PRR corresponde à totalidade dos custos elegíveis do investimento, prevendo-se o final da sua execução em junho de 2026”, adiantou o município.
Ainda de acordo com a nota de imprensa, a Escola Secundária tem atualmente 857 alunos, prevendo-se ainda a integração de 227 alunos do 2.º ciclo. “No futuro, prevê-se um total de número de alunos de 1.288”, esclareceu o município.
À agência Lusa, o presidente da Câmara de Porto de Mós, Jorge Vala, realçou que este é um investimento fundamental para o futuro do concelho, notando que a escola tem uma necessidade urgente de ser requalificada e ampliada.
“Esta sempre foi a ambição, quer do anterior Governo, mas também do corpo docente, não docente e, sobretudo, do município de Porto de Mós”, adiantou, frisando tratar-se de um salto enorme, sobretudo, para quem, como a autarquia, “considera a Educação como a base do desenvolvimento do futuro de um território”.
Jorge Vala esclareceu que o estabelecimento de ensino “não tinha condições para pessoas com mobilidade reduzida, não tinha climatização e, portanto, era uma escola do século passado que serviu muitos alunos, e bem, mas que está completamente ultrapassada”.
“E nós não podemos continuar a perder alunos para outros concelhos que oferecem melhores condições físicas”, admitiu o autarca.
Disse também que, “dentro de dois anos”, o concelho terá “uma escola de topo, sem luxos”, após a sua transformação “num espaço agradável, num espaço com boas acessibilidades” e que proporcione ao corpo docente e não docente, alunos e pais “melhores condições”, para que se possam “fixar esses alunos no concelho de Porto de Mós e, a partir daqui, fixá-los para a vida”.
O concurso para a empreitada já foi lançado, devendo a autarquia deliberar na próxima reunião de Câmara, no dia 27, sobre a adjudicação. “Calculo que no segundo semestre deste ano estaremos em condições de iniciar as obras”, apontou.
Quanto às instalações da atual Escola Básica do 2.º ciclo, de propriedade municipal, a autarquia está a iniciar o procedimento para a [sua] classificação de interesse municipal.
Depois, para este imóvel, será transferido o centro de investigação em recursos minerais, o TeSP [curso técnico superior profissional] de Recursos Minerais e toda uma parte ligada à investigação, à inovação, à ciência e à partilha das atividades do território com a academia. “Aquele edifício será transformado em residências científicas, em centro de investigação e poderá acomodar, inclusive, alunos de doutoramento que queiram trabalhar sobre o território”, acrescentou o autarca. |



Assinaturas