Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Três curtas-metragens portuguesas sabem hoje se são nomeadas para os Óscares


Foto: DR terça, 24 janeiro 2023

Os filmes portugueses ‘Ice Merchants’, ‘O homem do lixo’ e ‘O lobo solitário’ tentam hoje uma nomeação inédita para os Óscares, os prémios norte-americanos de cinema, no dia em que são revelados os candidatos à 95.ª edição.
A Academia de Cinema dos Estados Unidos divulga hoje a lista completa dos nomeados em 23 categorias e a cerimónia está marcada para 12 de março em Los Angeles, no estado da Califórnia.
Este ano, e pela primeira vez, há três filmes portugueses finalistas a uma nomeação para os Óscares em duas categorias.
‘Ice Merchants’, de João Gonzalez, e ‘O homem do lixo’, de Laura Gonçalves, procuram uma nomeação para o Óscar de Melhor Curta-Metragem de Animação.
Nos candidatos às nomeações para Melhor Curta-Metragem está o filme ‘O lobo solitário’, de Filipe Melo.
No cinema de animação, Portugal esteve mais perto das nomeações com a realizadora Regina Pessoa, que chegou a estar por duas vezes entre finalistas, com as curtas-metragens ‘História Trágica com Final Feliz’ (2005) e com ‘Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias’ (2019).
Daniel Sousa, português de origem cabo-verdiana e radicado nos Estados Unidos, esteve nomeado em 2014 com a curta de animação ‘Feral’, uma produção norte-americana.
No processo das nomeações, a academia revelou este mês uma lista de 301 filmes que cumprem requisitos para uma nomeação, e entre eles estão três com a participação de Alba Baptista, Carloto Cotta e o luso-guineense Welket Bungué, que são considerados elegíveis na área da representação.
Alba Baptista é referida pelo filme ‘Um sonho em Paris’, Carloto Cotta surge pelo filme ‘You won't be alone’, e Welket Bungué pelo filme ‘Crimes do Futuro’.
Na história destes prémios, o cinema português não tem estatuetas e nunca somou nomeações, com exceção para alguns profissionais que trabalham fora de Portugal.
O caso mais conhecido é do diretor de fotografia Eduardo Serra, nomeado por duas vezes para os Óscares, pelos filmes ‘As asas do amor’ (1997) e ‘Rapariga com brinco de pérola’ (2003), embora não tenha ganhado.
Nos anos 1980, o empresário português Carlos de Mattos, radicado nos Estados Unidos, venceu dois Óscares em categorias técnicas, por conta de uma empresa que fornecia equipamento para cinema.
Luís Sequeira e Nelson Ferreira, canadianos de origem portuguesa, já estiveram nomeados para os Óscares em 2018, nas categorias de melhor guarda-roupa e de montagem de som, respetivamente, pelo filme ‘A forma da água’, de Guillermo del Toro.
Luís Sequeira voltou a ser nomeado em 2022 com o filme ‘Nightmare Alley – Beco das Almas Perdidas’, também do realizador mexicano.


Assinaturas

Edição de Hoje, Jornal, Jornais, Notícia, Diário de Coimbra, Diário de Aveiro, Diário de Leiria, Diário de Viseu