Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Sol, areia, mar e uma bola oval fazem uma combinação perfeita


domingo, 21 julho 2019

Ontem e hoje todos os caminhos vão dar a Buarcos. E não é para menos. A 10.ª edição do Figueira Beach Rugby International leva até aquela localidade mais de 700 atletas provenientes de uma dezena de países (Portugal, Ilhas do Pacífico, África do Sul, Alemanha, Itália, Bélgica, Holanda, França, Ilhas Curaçau e Inglaterra), que fazem questão de marcar presença todos os anos num evento de referência no que diz respeito ao rugby na areia.

«Está a correr tudo bem. Não só pelo número de equipas mas também pelo ambiente, perspectiva-se um bom torneio», declarou Rui Loureiro ao Diário de Coimbra. O coordenador do Figueira Beach Sports City, um dos rostos da organização, fala com orgulho do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido ano após ano: «Dez anos não são 10 meses, nem são 10 dias. São muitos dias dedicados ao torneio. Chegar ao fim de 10 anos, conseguir ter aqui este número de equipas e continuar a organizar com o esforço que isto exi­ge é um sinal de dever cumprido». No entanto, nem tudo foram “rosas” e ao início a organização chegou a ter algumas dúvidas quanto ao suces­so da prova que hoje é a maior da Europa. Mas valeu a pena não desistir. «Quando propusemos este projecto à Câmara Municipal da Figueira da Foz dissemos que este viria a ser o maior torneio de rugby de praia da Europa. No fim da 1.ª edição, achámos que, se calhar, podíamos ter cometido um exagero porque a 1.ª edição não correu como esperávamos. Na altura, tivemos três ou quatro equipas estrangeiras e a duas delas tivemos de pagar para virem. Mas acreditámos que era possível e a prova está aí. Melhor torneio da Europa? Sou sempre suspeito, mas o maior é de certeza. Temos equipas que vêm há oito anos», contou Rui Loureiro.

Leia a notícia completa na edição em papel.